[da beleza que em tudo há]


compreender a beleza, quem pode?
vinda do pôr do sol
visto detrás
das cortinas
de um tempo esquecido
em relógios de cordas — e pássaros
que tecem ninhos ao amanhecer